- Kéryx - Estudos Bíblicos e Teológicos

Ir para o conteúdo

Menu principal:


A palavra grega "kéryx" significa "arauto", "pregador". Refere-se àquele que é comissionado pelo seu soberano para proclamar em voz alta uma mensagem (kerygma) de autoridade. O trabalho de um arauto consiste em tornar conhecida a vontade do seu Senhor, em anunciar suas palavras, em proclamar suas sentenças. Arauto, na idade média, era o oficial que fazia as publicações solenes, anunciava a guerra e proclamava a paz, ou seja, era o mensageiro (singular) do rei. É isso que um pregador é, o mensageiro do Rei Jesus, aquele que simplesmente transmite as ordens do Rei (cf. Colossenses 1.24-29). Teologicamente falando, a pregação é o exercício do trabalho do arauto do Rei do Universo!

A verdadeira pregação nada mais é que a proclamação da vontade de Deus aos homens. Assim, o kéryx é alguém que luta pela verdade a qualquer custo (cf. 2Coríntios 13.8) e está sempre preocupado em saber o que Deus quer que ele transmita.

O objetivo do website é exercer a função de um kéryx na vida de todos aqueles que, de forma direta ou indireta, tenham acesso ao conteúdo do mesmo. Aqui são publicados artigos, estudos e reflexões relativos a doutrina, organização religiosa e outros materiais com temas ligados à teologia e ao mundo bíblico em geral. Os materiais disponibilizados no site não estão vinculados a qualquer igreja ou linha doutrinária. Textos publicados e republicados no website Kéryx Estudos Bíblicos e Teológicos, procedentes de outras fontes e/ou autores, são de responsabilidade particular e exclusiva de seus respectivos autores. Você pode copiar todo e qualquer conteúdo deste website para republicações, desde que cite o(a) autor(a) e as fontes principais e intermediárias, inclusive o website Kéryx Estudos Bíblicos e Teológicos. Não é permitido: a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.

Não sou do G12, nem da visão apostólica e nem da visão celular. Também não sou da unção patriarcal, do riso ou dos quatros seres viventes. Nem da unção do "cai cai", das fronhas, das lágrimas, da virgindade, do lubrificante íntimo KY, da unção com óleo da potência, do pó de ouro ou da metralhadora. Muito menos da unção de Arão com 12 litros de óleo, da unção do machado, dos órgãos genitais e da transferência de demônios através do orgasmo. Nem da unção "do achar", do chicote, da galinácea, do cachorro e do novilho. Não sou da nação dos 318 pastores ou dos 305 (?) valentes de Gideão e a fogueira santa de Israel. Também não sou do "shu profético", da dança profética, da palavra profética, da adoração profética, do shofar profético, da trombeta profética da prosperidade, do louvor profético, do ato profético, da pulseira profética ou da rosa do pai das luzes. Não sou adepto do pacto da chave vitoriosa, nem da bênção das 7 notas de Real, nem do vinho para arrumar casamento, nem da campanha do celular da boa notícia, nem da campanha da mesa santa, do trono branco e do óleo de fogo consagrados, do batismo em toboágua. Nem da campanha do sabonete ungido, da meia ungida, da fita e da rosa ungida, do óleo ungido, da vassoura ungida, do cajado ungido, da peça de roupa ungida, da colher de pedreiro ungida, da caneta ungida para concursos, da fronha dos sonhos, da toalha com sudorese, da botija da multiplicação, do manto apostólico de Pedro, do tapete de fogo, do carnê da coluna sagrada, da gruta dos milagres, da garrafada do poder, da rede da prosperidade, do despacho gospel, da água apostólica, do perfume da graça, das balas ungidas e consagradas, do cimento da casa própria, da medalha do vencedor, do óleo das boas novas, do corredor do manto sagrado, do pente para tirar maus pensamentos, do martelão da justiça, do tijolo da obra de Deus e nem do sacudimento do pó consagrado. Como também, não faço parte dos "servos da orelha furada", nem da quebra de maldição, da campanha das sete sextas-feiras, dos sete mergulhos de Naamã, dos sete qualquer outra coisa. Não faço "oração forte" e também não participo das sessões de descarrego no porco, do desencapetamento total, da noite da "força interior" e nem do clamor no "interior do peixe". Sou apenas alguém que busca imitar a Jesus, que foi gente, e gente é o que quero ser. Creio que Jesus removeu meus pecados, não minha inteligência!

Busco conhecer a Bíblia, não apenas em seu contexto original, mas na situação e ambiente em que vivemos hoje, em meio a este continente do hemisfério sul. Tenho como objetivo primordial interpretar os ensinamentos bíblicos para os tempos atuais, analisando e avaliando os conceitos que recebemos através da Bíblia, da história da Igreja e da tradição de nossa denominação. Sigo a orientação de um homem sábio que disse: "Se você conhecer hebraico, grego e latim, não os coloque onde Pilatos os colocou: sobre a cabeça de Cristo; coloque-os aos pés dEle". E como afirmou certa vez Agostinho de Hipona, "a suficiência dos meus méritos está em saber que meus méritos não são suficientes" .

Diante do exposto acima, desenvolvi o site "Kéryx Estudos Bíblicos e Teológicos" com o intuito de que ele seja usado por todas as pessoas como uma ferramenta que sirva para distinguir entre ensinamentos certos e errados, pois creio que a verdadeira teologia bíblica argumenta em prol da verdade, com uma visão histórica, eclesiástica, filosófica e ética.

Fui resgatado pela Graça e, através dela, busco viver uma vida de unidade em meio à diversidade; seja ela de cultura, etnia, dons, ministérios etc. É através dessa Graça que espero que você seja edificado(a), como corpo de Cristo, com os estudos, artigos e reflexões que aqui encontrar. Esteja à vontade para deixar a sua opinião, o seu comentário ou até mesmo suas dúvidas, que porventura venham surgir em relação ao conteúdo deste site.

Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria.

No amor do Mestre,

HERBERT ANTONIO PEREIRA
Bacharel em Teologia com ênfase em Bíblia - FTML - Faculdade de Teologia Metodista Livre - SP.
Pós-Graduado em Especialização em Educação Cristã para Transformação - FTML - Faculdade de Teologia Metodista Livre - SP.
Educador cristão, coordenador de educação cristã na Igreja Batista em Jardim Santa Terezinha - SP
Professor nas áreas de Aconselhamento Cristão, Culto e Liturgia, Eclesiologia, Homilética e Teologia Pastoral no SETEPEB - Seminário Teológico Pentecostal do Brasil - Polo Santo André - SP.
É importante esclarecer que este WEBSITE, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: "é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal do meu trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Vale ressaltar que, no "contexto teológico", alguns termos não são considerados ilícitos, tais como: misticísmo, heresia, falso profeta, escarnecedor, ímpio, lobos, falso pastor, etc., uma vez que a Bíblia estabelece para o Cristão vários parâmetros de julgamento de comportamentos. Sendo comprovado biblicamente o teor da afirmativa, é válida a utilização de tais termos. No contexto jurídico - em síntese - é permitido o debate de idéias, as polêmicas, as críticas a respeito das religiões e seus aspectos teológicos. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para ideias e doutrinas.
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal